Clube Jurídico do Brasil

Processo trabalhista Feira de Santana, Bahia

Saiba as noções gerais sobre recurso ordinário em processo trabalhista. O advogado Andre Fernandes tem como objetivo apresentar "através desse artigo uma visão introdutória sobre o instituto do recurso ordinário em processo trabalhista. Ele explica os requisitos instrísecos, extrísecos e procedimento e particularidades". Consulte a lista de especialistas da área, em Feira de Santana.

Rubens C Santos
(75) 3623-9460
Rua Conselheiro Franco 200 - 2 s 218
Feira de Santana, Bahia
 
Advocacia Oyama Jaqueira
(75) 3221-7947
Rua Juventino Pitombo 122
Feira de Santana, Bahia
 
Casa da Picanha
(75) 3221-2724
Rua Barão do Rio Branco 1309 - 1 s 403D
Feira de Santana, Bahia
 
Benedito Carlos da Silva
(75) 3221-7529
Rua Conselheiro Franco 200 - 2 s 221
Feira de Santana, Bahia
 
Edvaldo A Rodrigues
(75) 3623-7800
Rua Coronel Álvaro Simões 108 s 109
Feira de Santana, Bahia
 
Antônio e B Miranda
(75) 3223-4392
Rua Gastão Guimarães 30
Feira de Santana, Bahia
 
Borges Advogados Associados
(75) 3624-9507
Avenida Maria Quitéria 2547
Feira de Santana, Bahia
 
Cleudson Santos Almeida
(75) 3623-3644
Rua Barão do Rio Branco 1517 s 306
Feira de Santana, Bahia
 
José C Santana Neto
(75) 3223-2728
Rua Professor Leonídio Rocha 330
Feira de Santana, Bahia
 
Oscarino Vienna
(75) 3225-5666
Rua Barão do Rio Branco 1309 s 303A
Feira de Santana, Bahia
 

Processo trabalhista

Artigos e Resumos Terça, 14 de Julho de 2009 18h55 ANDRE FERNANDES: Advogado inscrito na OAB/RJ desde 2003, especializado em direito do trabalho, militante na Justiça Federal Trabalhista da 1ª Região. A+   |   A- Noções gerais sobre o recurso ordinário em processo trabalhista - 1ª Parte - Autor: André Fernandes

André Fernandes

                        Este trabalho foi elaborado com o objetivo de apresentar uma visão meramente introdutória e, por conseguinte, geral sobre o instituto do recurso ordinário em processo trabalhista. Por tal razão, inexiste a pretensão de esgotar o tema. Ademais, por questões meramente didáticas, optou-se por dividir o trabalho em três partes, a saber: dos requisitos intrínsecos, extrínsecos e, finalmente, procedimento e particularidades. Assim sendo, expomos a seguir a primeira etapa do tema.

Dos requisitos de Admissibilidade Intrínsecos.

Introdução.

                        Como sabido, o ordenamento jurídico pátrio dispõe de um complexo e burocrático sistema recursal. A título meramente exemplificativo remete-se o leitor ao artigo 496 do Código de Processo Civil e ao artigo 574 e seguintes do Código de Processo Penal. Como não poderia deixar de ser, a Consolidação das Leis Trabalhistas, CLT, também apresenta seu rol. Para tanto, note-se o art. 893. Inobstante, esta vastidão não é privilégio das normas infraconstitucionais. A própria Carta Magna elenca mais um vasto grupo, como se vê dos artigos 102 e 105.

                        Se há fértil imaginação legislativa ao criar impugnações às decisões judiciais, não se pode dizer o mesmo em relação à nomenclatura adotada. Uma vez observados os inúmeros diplomas legais precitados, resta suficientemente claro que o legislador brasileiro conferiu denominações iguais a vários institutos jurídicos, cujos ritos e finalidade são bastante diferenciados. Caso típico desta miscelânea está no uso indiscriminado do termo recurso ordinário, RO, ao longo do ordenamento jurídico. Senão, vejamos: 1) recurso ordinário em mandado de segurança para o STF (art. 102, inciso II, alínea “a”, CF); 2) recurso ordinário em mandado de injunção para o STF (art. 102, inciso II, a...

Clique aqui para ler este artigo no Portal ClubeJus

© 2007-2010 Clube Jurídico do Brasil - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ClubJus